ZOIANDO

sábado, 31 de dezembro de 2016

FUI APALPADO NO BANHEIRO


Como esta é a ultima postagem do ano (a 12ª do novo blog) de inicio quero agradecer a cada um e a todos pelo carinho, carinho este que guardarei comigo pra sempre, quero agradecer também aqueles que por aqui passaram e que ficaram e especialmente para os que comentaram pois deixaram aqui um pouquinho de si, a principio pode parecer insignificante ou até mesmo irrisório mas o que seria de um blog sem um público? E melhor que ter publico é ter publico participante. Obrigado e que 2017 seja melhor que o ano que em poucas horas será apenas lembrança...

Dia 27 de novembro (Domingo) fui mais uma vez prestar concurso público e como sempre não fui aprovado (as aulas de português e matemática estão a me fazer falta!) bola pra frente afinal na melhor das hipóteses você é bom demais para o cargo pretendido (risos). Fui com a cara e a coragem enfrentar não só a concorrência mas também a fome, o estresse e por fim o transporte publico em pleno domingão de sol. Falando em concorrência que concorrência gata era aquela gente, queria que você vissem a "gataiada" que se formou na entrada da Anhembi Morumbi da Vila Olímpia!

Na volta em um terminal de ônibus qualquer (Capelinha pra ser exato) estou eu a zapear no celular quando me chega um "esquisito" com um celular e o carregador do mesmo em mãos a procura de uma tomada (mal sabia eu qual era a verdadeira tomada que ele estava a procurar!) a principio achei se tratar de um "doidinho" pois estava muito animado pra quem estava com um dos membros sem funcionar (no caso o celular) sim, já é considerado por muito como o sexto membro (no caso dos homens e o quarto no caso das mulheres), sendo o quinto, o membro que mais gosto... (pra quem não entendeu, o pau!) Passou-se um tempo e nada do busão e como a bexiga estava cheia fui ao banheiro, fiz o que tinha de ser feito  e quando estava lavando as mãos adivinha quem estava ao meu lado procurando a tal tomada? (não era uma testemunha de jeová!).

Nem dei bola, quando ia saindo ele me veio com a desculpa que não estava carregando e como bom samaritano que sou, fui ajuda-lo e ao me aproximar e sentir o cheio etílico em sua boca entendi a tal animação, sua animação só superou a minha quando o mesmo me apalpou com vontade e me soltou perolas na altura do ouvido (as quais não citarei aqui!). primeiro tenho que confessar que tenho o maior tesão em banheirão (já entro de pau duro, por isso evito ao máximo) São raras as vezes que uso o mictório coletivo a fim de evitar situações desagradáveis e por isso sempre uso a "cabine", imagina se alguém perceber a minha "animação" no meio dos caras, no minimo levarei uns sopapos! Por isso tendo a evitar. Já faz um bom tempo, lá estava eu no banheiro do Shopping Largo Treze vazio quando vejo um cara se chegando (chegou ao meu lado e começou a "mijar" sendo que os demais espaços estavam vazios) Poderia ser coisa da minha cabeça, mas não esperei pra comprovar.

Voltando a apalpada... Que pegada firme tem aquele cara, estou até hoje com a lembrança fresca na memoria e com a culpa de não ter cedido a os instintos, mas como ainda estou preso a os princípios que eu mesmo abomino e que ainda não me libertei corri, corri de bobo que sou, corri feito criança quando o amiguinho o chama de "gay" e ele corre pra contar pra mamãe. O busão chegou e fiquei eu de longe a procurar o individuo que sumiu assim como apareceu. E você tem alguma história de banheirão, me contem nos comentários.

Segue a baixo o nome dos blogues/google+ que aqui deixaram comentários nos últimos três meses, essa é a minha forma de agradecer a todos e desejar um feliz ano novo, uma grande abraço e espero contar com todos vocês neste ano que se inicia a zero hora...


(obs: post programado dia 09/12 para o dia 31/12, caso seja novo aqui e tenha comentado entre essas datas espere a atualização do dia 01/01 ou clique aqui)

Eu sou o Pedro. E esse foi o ultimo "O Grande Masturbador" do ano.
Todo Sábado as 08h00 da manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui!

sábado, 24 de dezembro de 2016

AQUELE CARINHA DO INSTAGRAM


Já faz um bom tempo que aqui estou na blogosfera (não sei o porque mas esse nome não me soa bem) Assim como muito comecei com o já falecido orkut, isso lá por volta  de 2010/2011 (estou em dúvida entre o fim de um e inicio de outro) e depois de mim aventurar nas mais variadas redes por fim me hospedei no Xvídeos a alguns meses... Me condenem? (risos) O meu lado "puta cibernética" aflorou no inicio do ano quando o lado "assalariado" foi mandado pra escanteio e passei a fazer parte das estatísticas (de uma forma negativa é claro!) Mas como só existe uma saída que é seguir em frente, lá fui eu.

De inicio sentindo a necessidade de se conectar com outras pessoas assim como eu (os gays, se você pensou nos desempregados errou feio!) fui onde? Simples, no primeiro local que vem na cabela de um gay, no "bate papo Uol" e logo de cara não gostei (talvez por não saiber manusear direito) Não sei se foi por achar o layout do site esquisito, ou talvez tenha achado o espaço para mensagens pequeno demais, ou foi o fato de ter muita gente conversando nada com nada, é um oi pra cá, um oi pra lá e ninguém se entende, ai você tá lendo uma mensagem e vem mais cem, definitivamente não era pra mim. É quando me vem a cabeça o site do Gay por Acaso, pois lá tinha um bate papo que nunca tinha me aventurado (as vezes entrava só pra ver o que os caras estavam falando) com a cara e a coragem lá fui eu e como não podia deixar de ser, quebrei a cara novamente pois o mesmo não renovou o seu domínio.

O que fazer? É obvio que fui pro twitter, perfil criado e nudes postadas o que me restava era esperar, e foi o que fiz, foram poucos os diálogos e muitos os convites de foda (preciso dizer que não topei?) Foi quando cai de paraquedas no Instagram, repeti o mesmo procedimento que tinha feito no Twitter e por fim descobri que existe a opção mensagens privadas (como sou desenformado!) Conheci muita gente bacana lá, ou que aparentava pois na net quase tudo é lindo. Merecem destaque três caras que por sinal não lembro o nome da maioria.

José era o nome do primeiro (era José alguma coisa...) ele tinha uns quarenta e poucos anos, era mexicano e morava em uma cidade próximo a fronteira dos EUA (que também não lembro o nome...kkk), apesar de não entender bulhufas em espanhol consegui manter uma conversa (é incrível como o espanhol escrito é mais compreensível que oralmente) as poucas palavras que não entendia o papai Google me ajudava (risos) Sempre muito simpático e atencioso lembro até hoje o que ele sempre dizia... "José*** ao seu dispor!... (que fique registrado que ele tinha um pau lindo).

Já o "Jota", o segundo!!! (tenho a leve impressão que o seu nome começava com a letra "j") O jota também digitava em espanhol, tenho pra mim que ele era belizenho, não que ele não tenha me falado é que esqueci (risos) Ele tinha uns 27 anos e pelas fotos me pareceu que era afeminado e apesar de não curtir, com ele era diferente, não sei o porque nem como mas ele me ganhou, não sei se pela  conversa ou pelo seu jeito espontâneo de ser. Ah, ele nunca me pediu nudes nem eu mandei, suas fotos eram sempre normais ou de lugares (oh lugar bonito).

E por ultimo e não menos importante (pois esse é o meu crush cibernético, já citado aqui) Ele é mato-grossense de Várzea Grande, pra se ter uma ideia ele levou tão a sério o nome da cidade que chega a medir 1,90 de altura, certa vez falei que ele me lembrava o Andrew do seriado "Odd Man Out" por ser pescoçudo igual o ator, ele é claro riu (tenho tara por pescoçudos!)  Apesar do fuso de uma hora a menos a gente conversava quase todos os dias e foi através do mesmo que fiquei sabendo que o principal aeroporto do estado era o da sua cidade e que a mesma tem como limite com a capital o rio Cuiabá...

Quando conheci o Emi (vou preservar seu nome) ele tinha 29 anos e era aluno da Univag, ele também nunca me pediu nudes e algumas vezes me mandou fotos de perfil, e eu como fino que sou... (mentira, eu queria mesmo era mandar nudes... kkk) me esquivei e com o tempo também mandei de perfil (o que não faço com frequência!!!) O tempo passou e ele me pediu pra migrar para o seu "perfil pessoal" pois iris excluir aquele pois o mesmo não faria mais sentido e foi o que fiz, só que com o meu pessoal também (preciso dizer que hoje ele não sabe quem sou?) Mas essa não é a intenção de se ter um crush? O antigo perfil em que eramos amigos foi "desativado" por violar os termos e com ele toda uma amizade (tenso). E vocês, contem-me nos comentários sobre os seus crush sejam eles cibernéticos ou não, um abraço e fiquem com uma indicação de música do Emi; "October and April", até a próxima e tenham um ótimo e feliz natal.

Eu sou o Pedro. E esse foi mais um; "O Grande Masturbador".
Todo Sábado as 08h00 da manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui!

sábado, 17 de dezembro de 2016

PAU DE NEGÃO É GRANDE MESMO?


Dizem que baiano guarda dentro da cueca um outro baianinho devido o tamanho do membro, se é verdade eu não sei e talvez nunca venha a saber, mas levando em conta o único que vi pessoalmente (mesmo que mole) e os muito outros que vi via Skype tenho que dar crédito a falácia (mesmo que toda regra tenha a sua exceção) Acho que o primeiro pau em solo paulista que vi foi o do Negão (colega de trabalho que por sinal era baiano) gente que lapa de rola, e olha que estava mole, aquilo deve fazer um tremendo estrago. O negão (que por sinal era o seu apelido) era um cara de uns 2 metros de altura, forte e bem moleção, a gente trabalhava em um restaurante em um número qualquer da bandeirantes, quando ele chegou pra trabalhar lá eu já estava a alguns meses e como é de praxe os mais velho ensina os mais novos, e assim foi. Nos tornamos amigos e com o tempo estávamos tão íntimos que tínhamos certas liberdades, liberdades estas que se estendiam ao salão.

Certa vez surgiu a "brincadeira do peitinho" que consistia em pegar o peito do amigo e segurar (confesso que as vezes doía!) eu como bom samaritano que sou entrei na brincadeira, nunca tinha sentido em minhas mão tanto mamilos (pegava de mão cheia) tinha para todos os gostos e tamanhos, gente que tesão! Com o tempo a brincadeira acabou (modinhas passam, infelizmente!) só me restando o Negão a brincadeira tinha que evoluir e evoluiu, por parte dele é claro! A moda agora era "apalpar", e era o que eu fazia, meio sem jeito mas mesmo assim era uma apalpada, recordando hoje me parece bem gay mas não época não, era mais uma brincadeira de brother (deve ser coisa de macho?)

O tempo foi passando e as novas contratações eram de molhar a cueca, o marido da Marta era um gato, aquele jeito tímido dele só realçava os olhos azuis; E o que dizer do "fido dido" (parecia com o personagem licenciado pela Pepsico) que magrelo gostoso;E como esquecer do garcon playboy?, E o japonês, um dos meus fetiches sempre foi ver um japonês "animado", se é que vocês me entendem (risos); Tinha também o cara do Barril, o Cozinheiro (esse era gay!) e por ultimo o Carlos, esse era feio mas tinha um corpo e um charme de balançar a torre Eiffel, dia desses o vi no facebook (temos amigos em comum) e o cara é igual a vinho.

O cozinheiro e o seu fiel escudeiro viviam a me jogar indiretas a respeito da minha sexualidade (no fundo eles tinham certeza) tanto que foram inúmeras as vezes que o "fiel escudeiro" (não lembro-me o nome do sujeito, kkk) chegava a mim quando eu estava distraído e me chamava de "viadinho", sabe aquele cara que te pega desprevenido e te dá uma fungada? Esse cara era ele! Não sei se o seu intuito era pra provar para os demais suas suspeitas sobre mim, mas uma coisa é certa aquilo me dava um tesão da porra (tanto é que adoro quando me chamam de "viadinho" na cam, tá bom pode me chamar de puta... kkk) Então é isso, e vocês o que podem me dizer sobre os baianos, procedo ou não o boato?
Abraço e até a próxima.

Eu sou o Pedro. E esse foi mais um; "O Grande Masturbador".
Todo Sábado as 08h00 da manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui!

sábado, 10 de dezembro de 2016

MEU ALTER EGO

< POSTAGEM ANTERIOR - PRÓXIMA POSTAGEM 17/12>

A exatas duas semanas falei aqui de como vim parar na web, esse mundinho em que as pessoas podem ser o que bem quiserem (e geralmente conseguem!) , onde a realidade é mero detalhe insignificante que munido do anonimato o virtual ganha feição e ideologia capazes de convencem a si próprio. Por muito tempo fiz parte deste seleto (e crescente) grupo citado a cima, mas que em um belo dia resolvi dar um basta em toda aquela mentira, meses se passaram e em Outubro decidi cortar as assas do meu alter ego, nos primórdios ele atendia por outro nome (que não vem ao caso agora) e era dono de uma outra história pensada, repensada e estudada minuciosamente pra não se contradizer pois um personagem tem que ser seguido a risca.

Hoje o meu alter ego atende por Pedro (pedro com pê, para os mais íntimos!) alter ego porque o virtual que é o verdadeiro eu hoje em dia (vejam só a ironia?), antes o virtual era quem  mentia para os seus amigos pra se proteger dos seus medos, hoje é o contrário o virtual é quem se abre sobre os mesmos e também sobre as alegrias para os amigos virtual enquanto o "eu de carne e osso" (mas osso que carne) não tenho essa audácia de se abrir (literalmente) para os amigos do cotidiano pois sou hétero como já falei (risos!).

O primeiro passo para a mudança é tentar esquecer o passado e se não for possível o ignore, depois se desfaça dos perfis antigos sem olhar pra trás pois o passado é imutável já o futuro 50% é de sua responsabilidade o restante é concessionado pelo destino. Já o terceiro e último passo é, seja você mesmo, parece simples mas não é, falar dos outros e até memo criar personagens fictícios é mais fácil que andar pra frente já quando o alvo é si próprio você se pega questionando atitudes e eventuais transtornos que isso possa lhe causar, mas o lado positivo é a consciência limpa, sentir aquele gostinho de quem estar em paz consigo mesmo e consciente de seus atos é libertador.

Desde que esse novo eu tomou as rédeas sinto-me uma pessoa melhor, sem mentiras e somente a verdade doa a quem doer, me machucando ou não esse sou o novo eu. Uma coisa que o meu antigo alter ego fazia era se abster das redes no mês de Dezembro (sumir)  por se tratar de uma personagem e consciente da mentira que vivia setia a necessidade de me retirar de cena com a proposta de voltar no ano seguinte, e é o que vou fazer, eu o Pedro estou saindo hoje das redes, mas calma isso é um até breve! Para saber um pouco mais fiz um post explicando tudo no Tumblr, clique aqui e tenha acesso ao mesmo. Um abraço e até a próxima.

Eu sou o Pedro. E esse foi mais um; "O Grande Masturbador".
Todo Sábado as 08h00 da manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui!

sábado, 3 de dezembro de 2016

PRAZER INCONSTANTE


Não lembro-me bem da minha primeira gozada, talvez tenha sido durante o sono na famosa "polução noturna", aquele gozo involuntário durante o sono que você só percebe ao acorda todo molhado, acho que isso é comum entre os meninos. O que lembro é de não entender o porque daquilo que estava acontecendo, por mais que tente não consigo lembrar de ter gozado voluntariamente no período que conheci o Robson, o que lembro é que costumava ficar pelado sempre que possível e da sensação prazerosa que dava quando com as mão "brincava" com o pau, mesmo nunca chegando a gozar e viver de pau duro era prazeroso (fui uma criança inocente!).

Acho que foi o Adriano, a primeira pessoa que vi batendo uma. Ele era um rapaz forte, bonito e pra completar picudo (uma das maiores que vi até hoje pessoalmente, levando em conta que não vi muitas!), o único problema é que ele era desdentado, o que pouco me importava...O pau compensava! (risos). Ele costumava tomar banho nos açudes e como amigo que sou ia junto pois não era todo dia que tinha pica assim de bandeja na praça pra ser cobiçada! Ele sempre tinha um ritual apos o nado, tirava a cueca e a torcendo tirava o excesso de água e nesse curto período eu o tinha pra mim, mesmo que em pensamento aquele pau peludo que balançava entre as cochas era meu... Safado como sempre ele costumava simular masturbação e imagina a minha alegria em ver aquilo crescendo em minha frente.

Apos ir morar na serra e conhecer os prazeres da carne (conhecer, não fazer parte!) a masturbação virou rotina, sempre que saía com os amigos pra nadar era um verdadeiro "show de porra" pois costumava homenagea-los embaixo d´água. Fora o Naldo (o pauzudo), o Eron (o pinto pequeno), o Walter (o safado) e o Adriano os demais assim como eu raramente se despiam junto com os demais, existia uma certa vergonha entre nós, houve um período que cheguei a sentir ciumes do Silva pois ele mostrava o pau para as "putas" da vila e pra me não (vê se pode?). Também teve um período que cheguei a me desafiava a bater uma em lugares não tão comuns; Em casas abandonadas, campos de futebol, vias publicas, em fim em lugares não tão movimentados mas que corria o risco de chegar alguém (deve ser coisa de adolescente!). Ah já cheguei a masturbar um boi... (me parecia uma boa ideia na época!).

O primeiro pau paulista que vi foi o do "Negão", meu colega de trabalho que eu costumava apalpar (era só brincadeira, pois eramos hétero... deve ser coisa de hetero?) lembro-me de ter me masturbado no banheiro da primeira empresa que aqui trabalhei, como o mictório era um pouco afastado botava o pau pra fora e mandava brasa, sempre que entrava alguém simulava que estava só urinando (risos)
O tempo passou e me aventurei em outros horizontes, antes todo o meus esforço para me proporcionar prazer era para com o pau, o que sempre me saciava, mas com o tempo me parecia pouco e tive que procurar outros meios, e foi assim que conheci o boa e velha dedada e foi a partir dai que tive que concordar com a senhora de 68 anos (clique aqui e veja o vídeo), Mas como o rotineiro torna-se insustentável com o tempo, tive que recorrer a outros meios, meios esses que vou deixar por conta da imaginação do leitor, talvez conte futuramente), esses meios, digo adaptações meio que me machucava um pouco ai fui obrigado a usar o convencional; O consolo.

Apos pesquisar em vários sites encontrei uma loja que se encaixava no meu perfil, o preço era acessível e a retirada era discreta (imagina um pau de borracha chegando pelo correio e a minha mãe abrindo?) sim, ela tem a mania de abrir a caixa postal alheia (a casa é dela  e ela é quem manda). Fui até a loja retirar o produto e por incrível que pareça não senti vergonha, me surpreendi comigo mesmo (parabéns Pedro!) Comprei dois consolos um de onze outro de dezoito centímetros (me fudi, literalmente!), o primeiro até que gostei, gozei gostoso!!! Já o segundo, gente o que é aquilo?

Caguei no pau literalmente, incomoda muito e a posição é um pouco incomoda, a unica posição viável é em pé e mesmo assim com muita dificuldade, não sei se curti foi mais dor que prazer por isso não tenho uma opinião formada, o ruim é que desfiz dos brinquedos e hoje estão a me fazer falta e como estou desempregado não posso me dá ao luxo. Gente então é isso, e vocês o que me contam sobre a primeira gozada, é qual foi a que lhe fez ver estrelas?

Eu sou o Pedro. E esse foi mais um; "O Grande Masturbador".
Todo Sábado as 08h00 da manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui!

sábado, 26 de novembro de 2016

ME EXPONDO NA NET


Sempre morei no interior e lá as coisas sempre chegavam um pouco atrasadas, foi assim com a eletricidade, com a televisão (mesmo que braço e preto) e como não poderia deixar de ser a internet também chegou atrasada. Pensando bem, nunca chegou! Na época a rede social do momento era o orkut (hoje muito nem sabem o que foi isso) todos os meus amigos tinham um perfil, eu não, pois para ter acesso a rede era necessário o deslocamento até a cidade onde as almejadas Lan House brotavam a cada esquina (ta ai outra coisa que não vê mais hoje em dia), a molecada lotavam a procura de diversão, seja ela jogos, redes sociais ou até mesmo trabalho escolar, hoje todo mundo tem um ou mais aparelho com acesso a internet.

Em meados de 2010 aqui desembarquei e como morava com os meus tios e os mesmos não tinham acesso a internet fui obrigado a voltar para a primeira opção, o DVD. Imagina a vergonha que tive ao chegar em uma banca de revistas aqui do bairro pra comprar um porno gay? (eu nem sei se hoje em dia ainda vendem DVD pornô em banca de revistas) Ainda hoje evito comprar algo do tipo, ainda mais se o vendedor for homem ai a vergonha mim consome, não sei só sei que preciso amadurecer a respeito. Um ano depois entrei para o orkut, e como não poderia deixar de ser, com o tempo coloquei no perfil a foto de um homem seminu, pensando eu que a família não veria (ingenuidade a minha né?). Minha tia viu e veio me perguntar (sempre tem uma tia xereta!), neguei, como um bom gay no armário que sou inventive a primeira desculpa que me veio a cabeça, "fui raqueado!" e imagina? Colou! kkkk

É como eu sempre digo, não existe uma boa mentira o que existe são bobos que acreditam! E como sempre usei pseudônimos na rede, criei um outro perfil e bola pra frente, e "estou hétero" até hoje!
Depois fui para o Blogger (de onde sai faz um bom tempo) recentemente voltei e aqui estou, passei pelo Twitter onde permaneço, só que com outro perfil pois o primeiro não condizia com a minha realidade. No Instagram fui denunciado/bloqueado inúmeras vezes por ser explicito de mais, se é que me entendem? (imagina!) mas voltei novamente porque tenho que fazer jus a fama brasileira que "brasileiro nunca desiste", e foi no Instagram que conheci o meu eterno "Crush cibernético" que diga-se de passagem falarei sobre em um futuro próximo. Já o Tumbler nunca fui fã mas vez ou outra resolvo tirar a poeira.

E como o bate papo privado das redes citadas acima me parecia pouco, me aventurei no ao vivo, se assim podemos chamar a webcam? No inicio do ano, assim como milhões de brasileiros sai do mercado de trabalho e como quem não arrisca não petisca fui atrás de uma chance no "mercado negro" (risos). Fui tentar vender o corpo na web (queria vender na rua, mas sou um cuzão!). Tão logo fui rejeitado por que o meu perfil não se encaixava no que o site estava a procura no momento, mas o que esperar do Camera Prive onde os modelos são todos gatos e musculosos ao contrario de mim com os meus 58 kg maus distribuídos em 1,75m? Mas deixa estar, coloquei o pau na cueca e apos me cadastrar em outros sites e receber a mesma resposta vi que eles estavam com a razão, que os magros de mais e os gordos são peças raras, mas tão raras que até de graça correm o risco de serem rejeitados (risos...)

Quando somos desclassificados é prudente ou por educação recebermos o premio de consolação (ou de participação, como queiram!!!) e foi assim que cai de paraquedas no ponto gay (a cam é livre mas só interage quem paga!), e como dinheiro não se dá em árvores fui obrigado a me cadastrar no Chaturbate (de onde fui expulso por divulgar perfil pessoal, kkk) esse talvez seja o melhor site do gênero, mas como o "melhor" me mandou pastar quem me acolheu foi o Cam4 (onde permaneço mesmo já tendo sido bloqueado no passado, caso que não aconteceu com o Chaturbate, que fui banido! kkk).

Se tem uma coisa que sempre curti foi pornografia e a internet só veio a acrescentar até porque nas noites tediosas nada mais relaxante que uma punheta pra relaxar, e nada melhor que bater uma pra cam vendo um pornozinho. Pensando nisso fiz um perfil no Xvídeos, onde vez e outra coloco um vídeo em ação ( mas que dificilmente mostro o rosto,) nessa já conheci caras maravilhosos (ou pareciam!), entre esses muitos só não os encontrei pessoalmente por medo, receio, distancia e o que pesa mais a timidez!!! Em um outro momento abordarei o assunto, fiquem em paz.

Eu sou o Pedro. E esse foi mais um; "O Grande Masturbador".
Todo Sábado as 08h00 da manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui!

sábado, 19 de novembro de 2016

VAMOS FALAR DE CRUSH


Olá, eu sou o Pedro e aqui estou a exatas seis semanas (na verdade mês que vem fará quatro anos de blog) O diferencial é que antes eu apenas repassava "assuntos", o famosos "copia e cola"(não que eu não tivesse conhecimento sobre o assunto, mas não era a minha realidade) hoje aqui estou desarmado sem pretensão e/ou ilusão alguma mostrando  a minha  realidade nua e crua sem filtro, sem vitimismo, angustia ou magoa... Apenas um ser humanos que acorda um dia de bom humor e no outro não!  Se por algum motivo tenha caído aqui de paraquedas clique aqui e saiba um pouco mais sobre mim, caso contrário continuemos...

Quem se lembra da primeira paixonite, aquela paixão que você não sabe se é apenas um gostar de irmão ou um gostar com segundas intenções? No meu caso isso aconteceu um pouco tardio (não lembro-me bem a idade), sei que foi logo apos ir morar na Serra, ou seja tinha entre 11 e 14 anos, o nome do cara não recordo no momento sei que era um dos amigos do Naldo (recorrerei ao meu irmão futuramente pra averiguar o nome!!!) Lembro me que ele era moreno e tinha mais ou menos a mesma idade que eu, o que lembro também e por sorte nunca esqueci foi o seu dote (apesar de não lembrar ter  visto de fato!) lembro que ele era cara muito safado e algumas vezes mostrou o contorno do pau pelo short quando conversávamos sobre putaria, e que pau! A gente não se dava muito bem, ele sempre implicava comigo e eu com ele, deve ser por isso que sempre gostei de caras que me tratava mau, kkk! (preciso dizer que não sei pras quantas ele anda? Só sei que casou-se!).

No período em que morei na serra fiz grandes amigos (dois já faleceram, já os outros o  tempo nos distanciou) por muitos senti desejos mas nada que possa se encaixa como paixão. Não entraram nessa lista, mas mesmo assim merecem destaque o Naldo, o Walter, o Silva, o Antônio, o Eron, o Dinda, o Edson , o Duda, o Beto, o Nenê, o Marcio, o Paul e por ultimo o Marcos, esses três últimos não sei a minha reação se os encontrasse hoje (os nomes foram alterados por cautela). Em meados de 2003 me mudei para a "Baixada" (calma, não é a paulista!!!) Fiz novos amigos e como não poderia deixar de ser  finalmente fui estudar na cidade (ô lugar pra ter macho bonito). Não lembro-me se foi no 5º ou 6º ano  que conheci o Alan, a minha segunda paixão, ele era um poste, mas não era qualquer poste não, era "ô poste", eu adorava conversar horas e horas com ele. "Mas como na vida tudo é passageiro, menos o cobrador e o motorista" o tempo passou mudamos de sala e como todos sabemos paixão tem data de validade.

Hoje Crush mas na minha época era amor platônico aquele amor idealizado, perfeito, intocável, aquela paixonite em que as parte necessariamente não precisam se conhecer... Aquele namoro que só um faz parte/sabe da relação! (parecia loucura na época, hoje em dia todo mundo tem um Crush pra chamar de seu).  Meu primeiro Crush atendia pelo nome de "O filho da professora", ele era um branquelo feio e magrelo, o tipico nerd espinhento que eu "amava a distancia", kkk (preciso dizer que hoje ele tá um gato e nem sabe que existo?). O bom é que Crush é igual ador de cabeça, dá é passa! Com o tempo conheci vários outros caras e que depois nos tornamos amigos, outros apenas vi de longe e os adotei como Crush que tinha em comum a... (Quem pensou vara errou) era a distancia, como sou "hétero" em sua maioria os cobicei de longe, os intocáveis enfeitaram/enfeitam o meu imaginário até hoje, já os demais fui aquilo que poderia ser, se a unica coisa que posso ser deles é amigo, então eu serei! Hoje estou "sorteiro" não sei se por opção ou por medo só sei estou esperando pelo meu príncipe (dizem que ele existem, onde vivem, o que fazem,  e como são, sexta no Globo Repórter!, kkk), espero que conheça o meu ainda respirando.

O ano era 2010, e foi em uma noite fria de Agosto que desembarquei em Guarulhos, já faz alguns anos e de lá pra cá já fui adepto do "adote um Crush"quando se estar no ócio e cá pra nós oh terrinha pra ter gente bonita (não só fisicamente), a cada esquina é um suspiro. Futuramente falarei dos crush paulistanos porque este post tá ficando um pouco comprido e como Sábado estarei por aqui novamente talvez dê continuidade, mas se por um acaso sentir saudades durante o off aviso que estarei 30 horas no twitter (não sou Itau mas roubo cinco horas do dia seguinte com o pretexto de lhe dar mais cinco, kkk). "PS: o Robson não entrou neste post pois eu era muito criança, pra mim aquilo tudo era apenas uma brincadeira de criança sem maldade alguma, tudo muito puro.
"
Eu sou o Pedro. E esse foi mais um; "O Grande Masturbador".
Todo Sábado as 08h00 da manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui!

sábado, 12 de novembro de 2016

SIM SENHOR!


Desde o ultimo dia 12 resolvi me despir (literalmente) neste espaço que carrega em seu domínio o nome de uma das obras mais famosas do pintor espanhol Salvador Dalí e que tão bem representa a minha vida sexual (não estou reclamando!!!). Obra essa que já mas verei a original pois a mesma se encontra em Madri (e como diz o Fernando e Sorocaba, ..."Que bom seria se São Paulo fosse do lado de Madri"...) ai era outros quinhentos.

Mas hoje não vim aqui falar de putaria... (Até porque esse blog não é sobre putaria, tá bom pode rir!) Se caso essa for a sua intenção clique aqui, caso contrário espere uma outra publicação por que hoje vim aqui falar sobre o meu pai, e como é final de semana (sim, esse blog é atualizado semanalmente!) nada melhor que um post 'família"!

Meu pai sempre foi um deses caras trancadão com os filhos, eu mesmo nunca mantive um diálogo propriamente dito, o famoso jogar conversa fora, sabe? Nossas conversar (se assim podemos dizer) tinha sempre um porque, e esse porque era sempre uma obrigação (faz isso, faz aquilo ou sim e não) eram sempre na função patrão/empregado. E, ai de mim se não obedecesse, o chicote comia.

Meu irmão mais velho conta que nem sempre foi assim, que antes do nascimento dos outros quatro filhos (somos em cinco) ele era um pai presente, desses de comercial de margarina (equivalente a nossa realidade, é claro!), que o levava para passear, que lhe presenteava (com essas besteiras que crianças adora). Uma pai que não cheguei a conhecer, hoje penso que poderia ser diferente se tivesse conhecido esse seu outro lado.

Fomos criados em uma redoma de vidro onde nada podia e tudo era errado, sair pra brincar com os primos só se fosse escondido, jogar bola, nadar no rio era pedir pra ser espancado em via publica. E foi em uma dessas que senti o que era humilhação, tinha entre nove e dez anos e não lembro quem teve a bendita ideia de fazer um piquenique as margens do rio, e lá fomos nós, o pessoal saiu na frente pra despistar, o meu irmão e eu esperamos o nosso pai sair pra trabalhar na roça e assim fizemos, cientes que ele nunca saberia. Como eramos inocente, ele não só soube como foi lá e ai vocês podem imaginar, uma surra com direito a plateia (o bom foi que como eu era menor e a responsabilidade sempre caia sobre o mais velho, preciso dizer que ele me bateu menos?  kkkk) Com que cara enfrentar os olhares dos nossos amigos no outro dia?

Em meados dos anos 2000 fomos morar na serra  apos a separação e como era de se esperar os filhos ficaram com a mãe, mas como uma mulher desempregada iria sustentar cinco filhos, a separação não durou muito e nos vimos na mesma situação de antes. De inicio ele veio com uma proposta de um novo homem, que mudaria, que não mais espancaria a nossa mãe (esqueci de dizer que sempre que bebia ele a espancava), foram inúmeras as  vezes que a vimos ser espancada sem nada poder fazer, só que um dia ela disse que iria criar vergonha, o que nunca aconteceu de fato! Eu não a culpo, é tão difícil nos libertar do que nos faz mal que os sentimentos se confunde e não sabemos mais o que é melhor pra nos, se mantemos tudo como estar, com os contras pesando mais que os a favores ou se aventuramos no incerto almejando a tão desejada liberdade, mas o que fazer quando não se acha digno dessa tão cultuada liberdade?

Passaram se os anos e em 2009 meu pai veio a falecer feito um indigente, ele foi encontrado afogado apos ser entregue a bebedeira , nesta época só quem mantinha contato com ele eram as nossas irmãs e  foi em uma fatídica manhã de setembro que toda a magoa perdeu sua razão de existir, dos seus 42 anos os 21 que fiz parte são raras as vezes que recordo com carinho, não sou hipócrita em dizer que sentia/sinto alguma coisa por ele porque não é verdade,e como não creio em vida apos a morte sei que aquele foi o adeus.

 Chegando no local, o meu mundo caiu, já tinha visto muitas pessoas naquela situação, o aglomerado de curiosos a chegar a todo momento com os seus celulares a registra a dor alheia, o boato, os comentários nada oportuno, juntou tudo isso desabei, nunca demostrei tanta emoção em publico, mas o bom é que depois das lagrimas se perdoa/esquece tudo, acho que os filhos tendem a repetir os pais e com ele não deve ter sido diferente!

Desculpa pelo texto pesado mas foi necessário, e repetindo uma frase da/do TatiCelo (espero que de sua autoria) "para educarmos os nossos filhos temos que fazer tudo o que os nossos pais nos fizeram só que ao contrário".

Eu sou o Pedro. E esse foi mais um; "O Grande Masturbador".
Todo Sábado as 08h00 da manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui!

domingo, 6 de novembro de 2016

VAI UM PORNOZINHO AI?

Desde já agradeço pelos comentários/conselhos deixados aqui (deixo registrado que analisarei todos com carinho). Como já viram, atrasei o post de Sábado mas aqui estou pouco mais de 24 horas depois o atualizando. Hoje vim aqui falar de pau (sem entendimento algum) Se por um acaso for novo no blog clique aqui. Nós os homens amamos os nossos paus, há até os que dão nomes ao membro (não é o meu caso!) e se for gays ai já viu, pois tem o agravante de cobiçar o pau alheio. Tem coisa mais bonita que um homem de shorts? (não vale dizer sem!!! kkk).

Eu sempre fui rodeado por homens bonitos (uns nem tanto, mas gosto não se discute!), como sou "Hétero" boa parte dos meus amigos nunca fizeram firula quanto a se despir na minha frente, simular masturbação, em fim (coisa de gênero). Quantas foram as vezes que me masturbei pensando neles. Quantas foram as vezes que os desejei sem que eles soubessem. Sempre tão perto mas ao mesmo tempo tão longe.

[Leia o poste anterior antes de prosseguir ]
Pouco antes de me mudar para a "serra" o Robson já tinha ido embora e como o seu lugar estava vazio conheci o Adriano, um  garoto mais velho que veio morar na vizinhança, e foi o Adriano que me proporcionou a visão do que era um pau de verdade, pois antes só tinha visto o pau de crianças, não imaginava que aquilo mudaria de proporções e formatos com a idade, foi ai que vi um homem de verdade completamente pelado em minha frente. Preciso dizer que adorei?

Chegando na "serra" fiz novos amigos (descolados) e com eles descobri que aquele admirar tinha um nome "sexualidade" e foi com os meus doze anos que descobri que tinha uma grande diferença, entre homens e mulheres que não era só a estética, que o pênis, a vagina e varias outras partes do corpo tinham mais finalidade do que um dia eu poderia sequer imaginal (isso é o que dar ser criado por pais controladores!). Hoje crianças de dez a doze anos tem vida sexual mais ativa que muitos homens por ai.

A primeira revista adulta quem não se lembra? E foi o Naldo que me apresentou a primeira, na verdade eram duas, que por sinal não lembro o nome, o que lembro é que contava a história de uma moça que foi passar as "ferias" na fazenda dos tios e lá encontra o seu primo Jeronimo...A partir dai você deve imaginar. Foram seguidas homenagens para o Jeronimo folheando as benditas paginas. Me julguem! Meus amigos até hoje acham que eram para a tal prima do Jeronimo...kkkk

Com a chegada do DVD ficou ainda mais fácil prestigiar o "trabalho dos caras" (era pornô americano, por isso era mais imaginação que ação propriamente dito) na época era difícil achar pornô mais explicito, tipo as brasileirinhas, o difícil era escolher pra onde olhar, se para a tela ou para o volume no short dos amigos... Nas cidades interiorana é difícil, pra não dizer impossível achar porno gay seja no papel ou no vídeo, foi aqui em São Paulo que conheci esse novo nicho, e pra falar a verdade me assustei um pouco no inicio. A principio é um choque, uma coisa é imaginar, outra é ver (tá bom pornô de vídeo é diferente do real!) mas mesmo assim ainda é um parâmetro.Eu me perguntava mas como coube aquilo tudo ali? Depois veio a internet e tudo ficou mais fácil, até se expor na webcam, coisa que contarei futuramente!


Eu sou o Pedro. E esse foi mais um; "O Grande Masturbador".
Todo Sábado as 08h00 da manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui!

sábado, 29 de outubro de 2016

O PRIMEIRO PAU A GENTE NUNCA ESQUECE?


O ultimo post foi sobre o meu amigo Rodrigo, hoje falarei sobre o Robson e o primeiro pau que tive contato (de fato) Ao contrário do post anterior  narrado nos dias atuais, sou obrigado a regressar até o finzinho do século XX, especificamente nos anos 90.

Gosto de pensar no passado (tento), mas muitas vezes por mais que se esforce não consigo lembrar de muita coisa, hoje não foi diferente. Apos analisar, e analisar de novo fui como quem não quer nada puxar conversa com o meu  irmão mais velho sobre "os velhos tempos", o que foi fácil. Meu irmão é uma saudosistas que vive relembrando do passado com carinho ( com uma certa angustia as vezes), como não poderia deixar de ser gravei a conversa pra não esquecer de nada (um cara prevenido vale por meia dúzia!).

Imagens desconexas, é isso que vem em minha mente quando tento lembrar da infância, mas cheguei a uma data, partindo do pressuposto que acabara de me mudar para um casarão que pertencia a os meus avós em 94 e que depois de um tempo chegou um menino novo na vizinhança (enteado do meu tio). Consegui chegar a uma data aproximada, algo entre 95 e 96, foi ai que surgiu o que hoje eu sei que era os meus primeiros instintos sexuais.

Realmente, eu era uma criança entre 7 e 8 anos nesta época, e muito ingenuo,  talvez seja por isso que não consigo lembrar de muita coisa, meu pai sempre nos tratou na rédea curta, qualquer coisa que fosse interpretada como 'imoral' ou com teor sexual o chicote comia, minha mãe seguia a mesma linha, tendo ao seu favor que surra de mãe não doí! (ela não questionava as decisões do "homem da casa", realmente era outro século mesmo... kkk). Não podíamos ir pra casa de amigos, jogar bola, subir em arvores, brincar de pega pega, em fim, não podíamos fazer as mesmas coisas que os meninos da zona rural da nossa idade faziam e,  isso veio acontecendo até meados dos anos 99.

Depois de um tempo conheci o "menino novo" (meu primo, se assim queira), sempre fui muito ingenuo, criado em uma redoma de vidro tendo como único amigo o meu irmão e primos, esses últimos esporadicamente. Nessa época já ficava de pinto duro mas pra mim aquilo era igual a senti formigamento na perna, normal e sem maldade alguma.

Ontem mesmo estava lembrando dele, como será que ele estar, fui bisbilhotar no facebook de algum amigos em comum e nada, talvez ele use um outro nome assim como eu! Mas continuarei a caçada... Robson é o nome dele (nome fake, como já falei no texto anterior), o conheci provavelmente no fim de 95, como eramos vizinhos logo nos tornamos amigos, quando íamos passear eu e a minha mãe ele sempre ia junto, era um segundo irmão, era tanta a consideração que eu gostava mais dele que dos meu próprio irmão. Certa vez fomos brincar em uma jaqueira que tinha atras de casa e eu não sei como (não consigo lembrar) Só sei que estávamos pelados  sarrando um pau no outro, não sei explicar como começou, o por que  nem como acabou aquilo, sei que durou quase o ano todo que ele foi o meu vizinho.

Robson foi o único homem que senti nas mãos, o único que senti junto a mim mesmo que não consiga mais lembre nitidamente, mesmo que inocente, mesmo sem saber o que estava fazendo e até mesmo sentindo, eu gostava... Por se um menino da cidade e ter sido criado por diferentes pai ele já tinha um certo entendimento do que estava fazendo, ao contrário de mim, mas o que é bom acaba logo, e foi o que aconteceu quando o meu tio se separou da mãe do Robson e eles foram moram em cidades diferente. E é assim, desde o século passado que não o vejo.

Eu sou o Pedro. E esse foi mais um; "O Grande Masturbador".
Todo Sábado as 08h00 da manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui!

domingo, 23 de outubro de 2016

SONHEI CHUPANDO MEU AMIGO


Olá eu sou o Pedro. Tá bom, quem leu o post anterior sabe disso (se ainda não leu clique aqui). Já que estamos mais íntimos (digamos assim), Vamos nos aprofundar mais um pouco; Sou do Nordeste, o segundo de cinco irmãos (sendo dois homens e três mulheres) Moro na capital paulista desde 2010 onde cheguei sem pretensão alguma, adepto do "o que vier é lucro" assim permaneci, nesses seis anos não houve grandes mudanças que mereçam destaque, eu acho!

Pouco mais de seis meses aqui resolvi sair do armário para o meu irmão (ele tava no Nordeste e é mais velho que eu dois anos), o tempo passou e a oportunidade também, e foi quando ele veio morar com a gente que o armário se fechou novamente. Pois vendo a sua forma debochada de ser percebi que a cruz era mais pesada do que aparentava, não que ele seja homofóbico, é que a minha família tem uma veia humorística muito ativa, aquele humor negro que não perdoa nem deficientes (não que levem isso para o mundo, mas nas rodas de amigos e parentes, a "piada" rola solta), foi ai que percebi que não estou pronto pra ser a piada.

Mas hoje eu não vim falar sobre isso, é que noite passada tive um sonho "maravilhoso" com um amigo. Vou da lhe o nome de Roberto (Os nomes dado a os personagens serão fake pra preserva a minha identidade; Detalhe, a inicial de cada nome corresponde a inicial original, exceto o meu que o original inicia-se com "J"). Conheci o Roberto no trabalho, já fazia mais ou menos um ano que eu estava lá ai o roberto chegou com mais uma par de novatos. Ele é um negão alto de uns 20 a 21 anos, a principio não dei bola, afinal não curto negros... (Tenho receio devido a crendice popular a respeito do seu monumento) nem novinhos. Com o tempo tornamos amigo e as nossas conversas eram sempre sobre muita sacanagem, sabe aquela conversa de hétero, pois bem, era essa a nossa conversa... (se é amigos a única coisa que podemos ser, estou disposto a aceitar todos os onus e bônus). sim o Roberto é hétero.

O Roberto é de Paraisópolis e ao contrário de mim adora um rabo de saia e cair na noite e por  consequência pegar algumas novinhas, e é sobre essas novinhas 50% das nossas conversas. Como tinha sido a noite anterior e o resto vocês podem imaginar...

Me peguei várias vezes a imaginar um negão daquele fodendo, aquele um metro e setenta todo trabalhado na academia deveria ser uma máquina de prazer, suas coxas grossas e bumbum empinadinho fazem par perfeito com a mala que carregava balançando entre as pernas e pra acabar no meu setor não tinha cara mais cheiroso que o Roberto. Apesar de não parecer o Roberto estava na minha lista de "talvez positivo", sim eu elaboro mentalmente na rua uma lista de crush pegáveis (não que eu tenha coragem de abordar). Dia desses falo sobre essa lista.

Não é que noite passada sonhei chupando o Roberto! Que pena que era apenas um sonho, sentir o gosto do Roberto mesmo que fictício foi incrível, sentir aquele caralho babando na minha boca, sentir que aquele macho era só meu foi melhor que eu poderia imaginal (olha que foi só um sonho, mas fico imaginando se na real é tão bom chupar um pau assim? Deve ser, se não qual é a explicação para essas pessoas que vemos tão felizes na rua, é muita piroca! Mas assim como a sinedrela, o sonho tornou-se realidade, é a realidade é cruel, me acordei todo molhado e sem nem um resquício de porra na boca, só na cueca...

Eu sou o Pedro. E esse foi mais um; "O Grande Masturbador".
Todo Sábado as 08h00 da manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui!

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

PEDRO COM PÊ


Sabe aquelas crises existenciais que batem e depois se vão? Estou passando por mais uma! A mais grava talvez tenha sido entre 2007 e 2008 (não me lembro muito bem, lembro que estava no ensino médio). Foi uma das maiores angustias que passei, foi devastador!!!  (não, não deixei de me alimentar, muito menos tentei o suicídio - Perdoe-me não tenho colhão pra isso!). Acontece que está batendo novamente aquela angustia, tá bom, talvez seja um desânimo. Pensei em desabafar lá no blog,sim eu tenho um blog meia boca (talvez, boca toda!), o espaço no qual dou voz ao meu ser que muitas vezes ninguém dá a minima (tá bom, talvez tenha exagera um pouco?) Não sei! Sei que como sou "hétero" para a sociedade (eu tento), seria impossível chegar no blog oficial, digamos assim, e começar a falar de macho.

Como os meus pais são tradicionais (seja lá o que for isso!), essa minha angustia talvez se tornasse em uma grande depressão, não eles não iriam me expulsar de casa, muito menos me bater (estou com 2.8 - não que isso sirva para alguma coisa), mas eu não conseguiria viver com a minha mãe me olhando atravessado (não agora!!!), não saberia lhe dar com as piadinhas dos meus irmãos  e primos! Enquanto isso fico eu "enganando" a minha família, eu digo que sou hétero, eles fingem (acreditam), mal sabe eles que na calada da noite me exponho na webcam para a macharada, eu sou desses!

A partir de hoje, eu Pedro (me batizei assim na rede, mas também já fui, Lucas...), Este blog nasceu para que eu desse voz as minha angustias e medos, seria o meu porto seguro, o local onde o Pedro poderia ser o Pedro, o tempo passou e eu me perdi (ainda tentando me encontrar).

Aqui contarei as aventuras de um garoto virgem de 28 anos (não ria!) na maior cidade da América latina (desconsidera o  'aventuras..."), Mas continuamos; sou tão magro quanto tímido (esquelético). Moro com os meus pais e irmãos. Meus amigos dão pra se contar nos dedos...Então é isso, depois a gente conversa mais um pouco.

Este é o meu Twitter, meu e-mail e Tumblr estão no banner do blog (detalhe, esqueci a senha do Tumblr, kkk). Abraço, a gente se vê por aqui!

Eu sou o Pedro. E esse foi mais um; "O Grande Masturbador".
Todo Sábado as 08h00 da manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui!

EU OUVI BUCETA?

< POSTAGEM ANTERIOR - PRÓXIMA POSTAGEM > Bom, minha vida sexual tá um pouco parada (não por opção) até porque se fosse por mim...